FIQUE LIGADO

BLOG

Criança de zero a 100 anos: nunca pare de brincar

Calesita Brinquedos / 25 de maio de 2018

Já dizia minha avó que a idade está na cabeça da gente, e hoje eu acredito nisso. Quando somos muito crianças, acho que o que mais gostamos de fazer é brincar. Quando somos pais, adoramos brincar com os nossos filhos, redescobrir um universo mágico e divertido. Mas por que nos esquecemos de brincar quando envelhecemos? Brincar é tão bom e é tão importante! Existem tantas formas de brincar aos 60, 70, 80 anos. Jogos de cartas, jogos da memória, pique-pega, forca. Além disso, quando brincamos uns com os outros, aumentamos a harmonia, a interação, a intimidade, desenvolvemos o relacionamento interpessoal. Não há idade para brincar, não há momento para começar a brincar ou parar de brincar.

A brincadeira não é só uma forma de divertimento, é uma forma de perceber o mundo, de descobrir coisas novas. E, assim como as crianças, os adultos também entram nessa mesma história. Novos limites, novas percepções, novos desafios, várias oportunidades de aprendizado. Brincar não é simplesmente brincar. Brincar é aprender, testar, conhecer, sentir e, de zero a 100 anos, podemos fazer isso. Na verdade, podemos fazer isso o tempo todo. Quando você usa roupas de bonecas na sua boneca, você imita a vida adulta. E quando você costura a roupa de boneca para sua neta? Quanto de trabalho motor você desenvolve? Quanta criatividade você aplica no desenvolvimento e na criação da roupa? Brincar é um eterno vai e vem e não há idade para fazer isso. Quando você brinca de jogo da memória com seu netinho, os dois se divertem, interagem, se aproximam, estreitam vínculo e ainda trabalham a memória! Não é fantástico?

A educadora e etnomusicóloga, Lydia Hortélio, tem uma frase que deveria ser guardada por todos os pais e educadores que diz assim: “O brincar é o último reduto de espontaneidade da humanidade”. Brincar jamais terá idade certa, seja na praia, na piscina, em um quarto de brinquedos, sentado em um gramado ou numa viagem de avião, não importa, pois o mais fantástico é o espírito criativo e aventureiro de cada um, é acreditar que não há limitações para a imaginação, que sempre haverá criatividade enquanto houver boa vontade e disposição, seja com zero ou 100 anos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *