Doar para receber! Qual importância de doar brinquedos antigos?

18 de outubro de 2019 -

A doação é um ato amoroso que envolve questões pessoais, religiosas e culturais entre outras. Mas uma coisa é certa: além de evitar o acúmulo, a doação estimula fortemente o hábito e o sentido de ajudar o próximo.

Quando o assunto é brinquedo, o dilema é o mesmo em boa parte das famílias. Normalmente, as crianças possuem muito, muito mais do que conseguem brincar e não têm lugar, sequer, para guardar tanta coisa no quarto.

E esta é a hora de agir. Datas especiais como o Natal ou o aniversário são o melhor momento para convencer os pequenos a fazer uma limpeza nas caixas de brinquedos. A argumentação é direta: “Você vai ganhar novos brinquedos, vai precisar de espaço para guardá-los”.

Além disso, o aspecto solidário também deve sempre ser destacado. É muito importante explicar aos nossos filhos que existem crianças como eles que não possuem nada para brincar. E que aquele carrinho, aquela boneca ou fantasia de princesa e super-herói certamente vai deixar um menino ou uma menina tão feliz quanto eles foram quando os receberam.

Uma vez convencidos, os pequenos têm de se sentir responsáveis pelos seus atos. Assim, devemos respeitar sempre suas opiniões. Você pode até dar palpite, lembrar que ele já passou da idade de aproveitar este ou aquele brinquedo. Mas a decisão final tem de ser deles. Importante é dizer, apenas, que os brinquedos doados têm de estar em bom estado. “Se você não ia gostar de ganhar um carrinho quebrado, nenhuma criança vai gostar também”, deve-se alertar aos pequenos.

E como vai ser a entrega dos brinquedos escolhidos? Algumas famílias, consideram importante que os filhos, a partir de seis ou sete anos, participem de todo o processo. Assim, num fim de semana, vão todos juntos a um orfanato ou a um abrigo de menores levar pessoalmente a doação. Para alguns pedagogos, como Maria Cristina Aguiar, que coordena ações sociais de uma escola de classe média alta na Zona Oeste de São Paulo, esse tipo de atitude é positiva, pode contribuir para a conscientização das crianças sobre a realidade do mundo em que vivem, ressaltando de uma forma suave diferenças com as quais durante toda a vida terá de conviver.

Um ótimo exemplo para mostrar para a criançada é a cena de Toy Story 3 que trata de perda e de apego. No filme, o personagem Andy – dono dos brinquedos – vai para a faculdade e precisa se despedir de seus amigos brinquedos, doando todos para a pequena Boonie. E uma nova história começa em torno deles.

Praticando a solidariedade

A Charities Aid Foundation, uma organização filantrópica inglesa que presta serviços à instituições de caridade e seus doadores em vários países, publica anualmente o Índice Global de Solidariedade (World Giving Index),  o mais completo estudo sobre o tema no mundo. Entre os indicadores considerados estão o montante de valores de doação, o número de pessoas atendidas e de voluntários envolvidos em causas sociais. São incluídos na pesquisa 150 mil pessoas de 146 países e, no resultado final, o Brasil ocupa a 122° posição.

Segundo Maria Cristina, isso mostra que ainda temos muito espaço para crescer no ato de doar. Começar esse trabalho dentro de casa, mobilizando nossos filhos, ou na escola, com campanhas de arrecadação de brinquedos, roupas e alimentos, por exemplo, pode portnto significar muito mais do que dar benefícios para uma ou outra criança. Pode ser um passo importante na direção de um mundo mais solidário.

Calesita A Calesita Brinquedos conta com uma equipe de assessoria que também colabora na produção de conteúdo exclusivo para o website “Estar Presente”.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *