#BRINCARDEQUE: Como montar uma caça ao tesouro que desperte a curiosidade dos pequenos

04 de setembro de 2019 -

Pensar em brincadeiras para entreter as crianças nem sempre é uma tarefa fácil. O passatempo precisa despertar a curiosidade e manter a atenção de maneira leve e divertida. Se servir para estimular o raciocínio lógico e cognitivo é ainda melhor. Uma sugestão interessante para meninos e meninas a partir de seis anos (para seguir esse formato, as crianças já devem estar alfabetizadas) é a Caça ao Tesouro. A brincadeira em grupo consiste em uma pessoa, de preferência um adulto, distribuir pistas dentro da casa em busca de um tesouro específico, que pode ser um objeto especial ou até mesmo um presente.

A procura pelas pistas deve trazer uma charada ou enigma que leve à próxima etapa, criando para a criança a sensação de acerto e satisfação a cada tarefa cumprida. Para a brincadeira ser ainda mais divertida, o ideal é formar grupos de até três crianças para evitar conflitos e permitir um melhor compartilhamento de ideias.  Vale, neste caso, ponderar as idades na formação das equipes. Mas o jogo também pode acontecer individualmente.

Após esconder o tesouro, o adulto deve espalhar bilhetes com dicas em lugares inusitados da casa, que instiguem as crianças e fujam do óbvio. Para a brincadeira ter em torno de uma hora de duração, o ideal é distribuir de 10 a 15 dicas. Abaixo, algumas opções para tornar a brincadeira ainda mais interessante para os pequenos:



 

Assim, o importante é explorar sempre a criatividade e estimular a imaginação da criança, usufruindo do ambiente da casa e criando uma brincadeira interessante, divertida e educativa. E uma última dica: jogar Caça ao Tesouro em datas comemorativas, como Páscoa e Natal, pode ser uma ideia excelente para inovar, fazendo da entrega dos ovos ou dos presentes um momento ainda mais especial. Bom divertimento!

Calesita A Calesita Brinquedos conta com uma equipe de assessoria que também colabora na produção de conteúdo exclusivo para o website “Estar Presente”.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *