A importância do faz de conta

13 de novembro de 2018 -

A tendência natural das crianças é copiar as pessoas que estão ao seu redor. Seja os pais, os irmãos, os professores, etc. E é na brincadeira de faz de conta que ela encontra a maneira de expressar seus sentimentos e pensamentos sobre o que está vivendo. Não existe certo ou errado durante essa brincadeira. Apenas o modo da criança de ler seu dia a dia e expressá-lo em forma de brincadeira.

Brincar de faz de conta é algo importante e fundamental, porque quando a criança brinca de faz de conta, ela utiliza-se da sua percepção de mundo, da sua imaginação, da memória e da sua criatividade para representar a realidade a seu modo. Ela está representando algo que está acontecendo consigo mesma de forma real e palpável.

Brincar de casinha é muito saudável para o desenvolvimento deles. Panelas, fogão, carrinhos e bonecas têm um papel fundamental para que a criança estimule sua imaginação ao criar personagens e assumir determinados papéis. Uma criança de dois anos ainda não compreende completamente o que é fantasia e o que é realidade.

Mas ao mesmo tempo ela pode demonstrar que já sabe brincar com sua vida cotidiana. Minha filha, por exemplo, costuma colocar as bonecas sentadas para ler um livro para elas. De vez em quando ela fala que as bonecas estão fazendo bagunça e a “prô” (que é ela no caso), chama o “amigo bagunceiro” para sentar no colo dela para continuar a historinha.

Em casa, as crianças têm aproveitado bastante o Mini Market da Calesita. É um mini mercadinho, com vários alimentos, cestinha de compras e um caixa. Já combinamos que é uma vez de cada um nessa função, enquanto o outro é o comprador. Catarina se diverte sendo a caixa do mercadinho, mas ela também gosta de fazer as compras, viu? Na vez do Cauê, ele aproveita para brincar com os cálculos mentais na venda dos itens. Quando ele é o comprador, já tem uma percepção maior e melhor das funções dos alimentos e com isso ele planeja o que vai fazer de almoço para a família.

Faz de conta é uma brincadeira que as crianças podem brincar sozinhas, ou com a família. Se você for convidado para a brincadeira, pergunte qual o seu papel e o que você deve fazer. Deixe a criança te dirigir nesse momento, afinal de contas, é ela quem está imaginando. Aproveite esses momentos para se conectar e compreender melhor como funciona os pensamentos deles.

Brincar é algo realmente sério para as crianças, quase como uma autoterapia, uma vez que elas não conseguem compreender tudo que as cerca, através da brincadeira elas podem se expressar e aprender a lidar com as situações seja de frustrações, conflitos e ansiedades.

Como pais, podemos oferecer ferramentas para que as crianças consigam se expressar, como brinquedos que estimulem a imaginação. E o mais fundamental, estar presente também durante a brincadeira sendo o personagem que seu filho pediu para você ser. Lembre-se que se ele pedir “de novo” para você brincar com ele, é porque ele simplesmente ama sua presença!

Karin Petermann Produtora de conteúdo no site Mamãe & Cia, 31 anos - casada há 11 anos.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *