É possível criar uma criança com alimentação vegana?

11 de novembro de 2019 -

O veganismo infantil é um assunto polêmico. E essa discussão ganha corpo na medida em que cresce, em todo o mundo, o número de adeptos desse modo de vida. Só no Brasil, estima-se que mais de sete milhões de pessoas já tenham se convertido a essa cultura.

Mas, afinal, crianças podem ser criadas sem ter na dieta alimentos de origem animal, como carne, ovos e derivados do leite? Seu desenvolvimento físico e intelectual será o mesmo daquelas que recebem uma alimentação tradicional?

Por mais que pediatras e nutricionistas ainda tenham divergências sobre o veganismo ser ou não uma prática adequada na infância, já não restam mais dúvidas de que é possível, sim, criar os filhos seguindo esse tipo de dieta.

O que é unânime, também, é a necessidade de acompanhamento próximo de um profissional nutricionista capaz de planejar corretamente a rotina alimentar dos pequenos, balanceando corretamente a alimentação. Aliás, este é um cuidado recomendável qualquer que seja o estilo de vida da família. Afinal, comida de verdade, com frutas, legumes, verduras e cereais faz bem para todo mundo, não é mesmo?

Veja a seguir, alguns pontos importantes que papais e mamães veganas precisam considerar, antes de tomar uma decisão de mudar os hábitos dos filhotes.

A amamentação materna é importante para os veganos?

Sim, o leite materno é essencial a todas as crianças. Os bebês veganos devem receber aleitamento materno pelo tempo que for possível, mas pelo menos até os seis meses de idade. Caso a mãe não consiga, é recomendável escolher fórmulas infantis industrializadas, mas com o cuidado de observar os nutrientes adequados à fase da vida de um recém-nascido.

O que não pode faltar na alimentação das crianças veganas?

Os mesmos elementos que compõem a alimentação convencional devem estar presentes na dieta de uma criança vegana. São eles o ferro, as proteínas, o zinco, o cálcio, o ômega 3 e a vitamina B12. Todos eles são abundantes em alimentos de origem animal, especialmente a carne vermelha e o peixe. Mas podem ser substituídos com o uso correto de verduras, frutas, legumes e, em alguns casos, de suplementos alimentares fortificados.

Como substituir a carne pelos vegetais na dieta da criança?

Para cada um dos elementos básicos da alimentação, existe uma alternativa vegano. Listamos aqui, alguns exemplos mais tradicionais e fáceis de serem utilizados na preparação do cardápio dos pequenos.

Ferro: O consumo desse nutriente, que exerce diversas funções metabólicas no organismo, é fundamental na primeira infância. Ele pode ser encontrado nos vegetais de cor verde-escuro, como brócolis e espinafre, nas castanhas, no feijão e em outras leguminosas. Uma boa medida é combiná-los com alimentos ricos em vitamina C, como as frutas, para auxiliar a absorção.

Proteínas: A soja é o alimento tradicionalmente mais usado como fonte proteica em substituição à carne. Mesmo antes da cultura vegana, já era apreciada em bifes e hamburgueres servidos, como prato vegetariano, em restaurantes convencionais. As castanhas e outras leguminosas, contudo, como grão-de-bico e lentilha, também são ricas fontes desse elemento.

Zinco: Uma das principais funções do zinco é proteger o sistema imunológico. Mas ele funciona, também, como cicatrizante e é uma fonte de energia para os bebês. De novo, leguminosas como o feijão e a lentilha, e alguns cereais como a aveia, podem suprir a necessidade do organismo. Bebidas naturais, preparadas com amêndoa, por exemplo, são outra alternativa.

Cálcio: Cerca de 99% do cálcio existente no nosso organismo estão nos ossos e nos dentes. O consumo é fundamental para o desenvolvimento da estrutura óssea e da dentição da criança, além de outras finalidades.  O cálcio está presente basicamente nas mesmas fontes de ferro: os vegetais de cor verde-escuro, as castanhas, o feijão e outras leguminosas.

Ômega 3: Nutriente fundamental para o desenvolvimento do cérebro e o fortalecimento do sistema imunológico, é encontrado fortemente nos peixes. Como alternativa vegana podem ser usados sementes de chia, cânhamo e abóbora, óleos de soja, linhaça e canola, algas e nozes. Bebidas naturais, preparadas com amêndoa, por exemplo, também ajudam a suprir as necessidades do organismo.

Vitamina B12: Importante para o desenvolvimento neurológico da criança, esse elemento é encontrado quase que exclusivamente em alimentos de origem animal. Mas sua absorção não pode ser desprezada pelos veganos. O recurso, então, é incluir na dieta alimentos fortificados e suplementos alimentares que hoje já se encontram no mercado com essa finalidade principal.

Qual a diferença entre veganos e vegetarianos?

A principal diferença entre as duas práticas é que os veganos não consomem nada que tenha origem animal, sejam alimentos, sejam artigos de higiene, limpeza, medicamentos e até peças de vestuário. Já o vegetariano não come carne bovina ou suína, aves e peixes, mas consome normalmente ovos, leite e produtos de origem animal, como queijos, manteiga, requeijões etc.

Calesita A Calesita Brinquedos conta com uma equipe de assessoria que também colabora na produção de conteúdo exclusivo para o website “Estar Presente”.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *