FIQUE LIGADO

BLOG

Que joias são recomendadas para as crianças?

Raffcom Agência / 25 de fevereiro de 2022

Crianças adoram brincar com as roupas e acessórios dos pais, não é mesmo? Mas elas também merecem os seus! Em cores e formatos diversos, brincos, pulseirinhas, medalhinhas e colares são bastante atrativos e deixam os pequenos ainda mais charmosos. No entanto, sempre fica uma dúvida: qual a idade certa e que tipo de joia é mais adequado para o público infantil? Para te ajudar a decidir, trouxemos alguns cuidados e dicas muito importantes que você precisa saber antes de comprar. Confira: 

Veja a indicação da faixa etária 

A criança pode utilizar acessórios já nos primeiros anos de vida. No entanto, é preciso estar atento às recomendações de idade descritas no produto, principalmente ao escolher o presentinho do recém-nascido. 

Dentre as opções de joias, os brincos são os mais recomendados para crianças entre 0 e 2 anos, mas que já estejam vacinadas para evitar riscos de infecção. Pulseiras também podem ser utilizadas, especialmente aquelas com o nome gravado na plaquinha e que servem para meninos e meninas. Mas é preciso que sempre estejam com o fecho bem fechado para evitar perda ou que o bebê solte e leve até a boca. No caso dos cordõezinhos com medalhas – uma joia muito comum para recém-nascidos de ambos os sexos -, prefira os modelos mais folgados, os muito justos podem causar desconforto ou asfixia. Anéis não são recomendados nessa faixa de idade. 

Crianças maiores, entre 5 e 9 anos, já possuem mais autonomia para usar e até mesmo escolher os acessórios. Ainda assim, verifique o tamanho ideal, pois pulseiras, colares ou brincos muito grandes podem ser desproporcionais à altura e até mesmo machucar por conta do peso. 

Tome cuidados na hora da criança usar

Independentemente da idade, é preciso ter alguns cuidados adicionais para que o uso de acessórios seja seguro e não prejudique a saúde dos pequenos. Para os bebês, jamais permita o uso sem supervisão de um adulto para evitar acidentes, como a ingestão de peças pequenas. Também é importante não deixar anéis, pulseiras ou colares muito tempo em contato com a pele. Mesmo os brincos precisam ser retirados e limpos periodicamente. E é importante verificar se a criança possui algum tipo de alergia que a impeça de utilizar algum tipo de material, especialmente os metálicos.

Atenção à qualidade da joia

Outro ponto essencial: é preciso sempre ter cautela com o material utilizado na confecção das peças. O mais recomendado são joias de pérola ou outras pedras como rubis, esmeraldas e turmalinas, ouro 18 quilates ou prata 925.

 Porém, opções mais econômicas como bijuterias de plástico, latão pintado ou outro tipo de material, e semijoias – aquelas que são apenas banhadas a ouro ou a prata – também podem ser utilizadas, caso a criança não manifeste algum tipo de reação alérgica. Mas atenção, pois a durabilidade delas é menor e podem oxidar com o tempo, precisando ser observadas permanentemente. 

Pronto! Agora que você já sabe quais são os melhores tipos de joia e o jeito seguro de usá-las, é hora de deixar os pequenos ainda mais charmosos. E os papais mais orgulhosos dos seus filhotes, certo? Ah! Que tal compartilhar essas dicas com os amigos? Envie então esse artigo para uma pessoa especial. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.