Especial Dia das Crianças: o que aprendi com o meu filho?

19 de outubro de 2018 -

Realmente a maternidade é algo surpreendente. Ela te vira do avesso logo no início e cabe a você aprender alguma coisa ou não. O Bento desde muito cedo me ensinou muitas coisas. Por isso, eu acho que sou uma pessoa antes e outra depois do Bento.

Já na barriga ele me ensinou que as coisas não eram no meu tempo e isso já me deixava louca. Diminuir o ritmo, ter calma, não pensar somente nas minhas necessidades. Depois ele me ensinou o quanto eu precisava das pessoas e quanto somos bem pouco sozinhos. Sobretudo, ninguém é invencível ou autossuficiente.

Todas as pessoas do mundo precisam de outras pessoas. Essa de que você segura sozinho é pura história. Aprendi na gestação também, o quanto meu corpo mudava em função do Bento e o quanto isso era difícil e ao mesmo tempo de grande prazer, entender que eu era a morada dele.

Já no fim, eu que era acostumada a ser a primeira em tudo, tive que esperar algumas horas para ter meu filho nos meus braços. A mãe é a última a vir da sala de parto, né?!

E quando nasce? Nossa! Que prova dos nove. Bento me ensinou que nada eu sabia. Que meus livros e teorias não adiantavam muito e que eu tinha que me entender com ele e com o meu peito. Não adiantava mil fórmulas se eu e ele não estivéssemos suficientemente afinados.

Tive que aprender a ouvir, conectar mais, pensar em mim em segundo lugar por amor a outra pessoa, mais que a mim mesmo. E as noites sem dormir? Bento me ensinou que existe certa dor e certa poesia nisso! Eram momentos de tanto silêncio na madrugada, tão meu e tão dele. Aprendi a esperar um pouco mais.

Aprendi a controlar o choro e me erguer forte porque alguém bem pequeno precisava de mim. Eu não poderia me desesperar e tinha que estar forte para o Bento. Ele me ensinou sobre ser forte mesmo estando meio moída por dentro.

E quando vem a introdução alimentar? A caminhar e cair? Quando todas as suas forças se voltam para isso? Você aprende a ter calma, equilíbrio e mesmo quando se desespera, aprende a voltar para o eixo. Me contem sobre as pirraças? A contar até mil e a respirar fundo? A ficar louca e voltar para o lugar e entender gritos, choros e birras! As vezes não entendemos, mas nossos filhos nos ensinam a nunca desistir! Aliás, uma mãe aprende com seu filho sobre a palavra persistência.

Meu filho me ensinou novamente a ver desenhos, a sorrir mais e a dar valor a pequenas coisas. Ele me ensina que saúde e paz são as melhores coisas, mas, acima de tudo, Bento me ensinou o significado de amar. Isso ele me ensina todos os dias da vidinha dele.

Parabéns a minha criança renascida e a minha criança Bento!

Hamanda Garcia Sou Hamanda, mãe do Bento, enfermeira do INCA, mestre pela UFF, autora do blog We Mães.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *