Qual o limite da tecnologia?

13 de abril de 2018 -

Meus filhos já nasceram na geração da tecnologia facilitadora, aquela que lhe permite ter tudo na palma da mão. Acredito que os seus também. Ao mesmo tempo em que esses avanços são de grande ajuda no dia a dia, cada vez mais corrido da sociedade, sempre me pergunto até quando tudo isso é benéfico para a infância.

Você não é um péssimo cuidador/pai/mãe por permitir o acesso de seus filhos à tecnologia. De fato, hoje ela está inserida em quase todas as ações da rotina. O que nos faz pensar é qual o limite saudável para que a criança use a tecnologia? Se antigamente os pais buscavam alternativas para limitar o tempo da TV e do vídeo game, hoje a luta é contra os tablets e smartphones. Definitivamente a solução não é lutar contra a tecnologia, mas sim utilizá-la com moderação e de forma inteligente com os pequenos.

A sociedade de pediatria, ainda no ano passado, falou sobre a importância de essa tecnologia ser descoberta apenas após os dois anos de idade. Não é a realidade, muitos bebês já sabem que aquele pequeno aparelho emite luz e sons.
O segredo para que exista harmonia entre pais e tecnologia é impor limites para ela e não utilizá-la como um meio de calmaria no furacão, como deixar as crianças horas e horas usufruindo do entretenimento para que elas fiquem quietas. O ideal é utilizar sim, mas como meio de ensino e novas descobertas.

Louise Aguiar Louise Aguiar, 28 anos, casada e mãe dos meninos Caio e Guilherme, descobriu na maternidade o seu melhor lado.

One thought on “Qual o limite da tecnologia?”

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *