O que levar em consideração na hora de escolher uma escola

15 de fevereiro de 2019 -

Antes da maternidade era muito fácil escolher uma escola para os meus futuros filhos: colocaria logo em uma escola bilíngue, com bastante atividades para a criança desenvolver. Até que eu me tornei mãe e percebi que meu mundo e minhas certezas mudaram completamente. Na hora de procurar uma creche para minha filha de apenas seis meses eu tinha apenas três prioridades: que ela fosse amada e bem cuidada por bons profissionais e um bom cardápio. Por isso eu optei por uma creche bem pequena, daquelas de bairro, próximo de casa e fui muito feliz ali.

Até que Sara cresceu e com três anos percebi que o espaço já era pequeno demais, as atividades não eram diversificadas, a metodologia tradicional e a comunicação com a direção difícil, e não havia neles o interesse em atualização. Era hora de sair. E começou a pesquisa: o que levar em consideração na hora de trocar de escola? Como encontrar a escola perfeita?

Após algumas perguntas internas e em diversos grupos de maternidade, cheguei ao seguinte resultado:

 

1 – Método

É interessante você descobrir qual método de aprendizado a escola utiliza. É uma escola tradicional? Construtivista? Montessoriana? Leia sobre os métodos e descubra qual mais te agrada. Quais são as atividades pedagógicas? As crianças possuem o estímulo certo para a idade?

2 – Localização

É uma escola maravilhosa, mas muito distante? É próxima a ponto de você conseguir levar andando? Você dependerá de alguém para buscar em casos que você não consiga? Colocará transporte e seu filho ficará muito tempo no carro? A localização é muito importante nessa decisão.

3 – Estrutura

É uma escola grande ou pequena? Você precisará mudá-lo ou vai até o ensino médio? Como é a limpeza? E a conservação? Qual é o estado das coisas? Cheguei a visitar escola que não tinha porta no banheiro infantil, estava quebrada.

4 – Alimentação

Como é o cardápio? Oferecem açúcar a partir de que idade? É diversificado?

5 – Preço

Não adianta ser incrível e não puder pagar, é claro.

6 – Amor

Por último, mas não menos importante, como são as tias e professoras? São atenciosas? São carinhosas? As crianças estão felizes na entrada e na saída da escola?

E foi levando esses itens em consideração que fiz a troca. Confesso que o coração ainda está apertadinho por mudar. E admito que foi muito difícil a decisão e não encontrei o lugar perfeito, foi necessário abrir mão de alguma coisa.

Optei por uma escola perto de casa, que pudesse levar e buscar a pé, onde pudéssemos conversar sobre o dia pelo caminho. O método é construtivista, não se limita a sala de aula. Abri mão do sonho do método montessoriano que não cabe no bolso por enquanto.

As crianças estavam felizes, os profissionais foram atenciosos. A escola limpa, pintada, com obras de melhorias. Possui atividades extraclasses no preço que posso pagar. E quanto à alimentação, a partir de agora serei eu que mandarei o lanche da escola.

Nessa minha busca, eu percebi que não é você que escolhe a escola, é a escola que escolhe você. Então esteja aberto a ouvir a escola e o seu coração, e siga em frente.

Brena Costa Meu nome é Brena Costa, autora do site Uma Menina, mãe da Sara, carinhosamente chamada de Sara Sardinha.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *