Brincadeiras antigas: seu filho conhece?

05 de julho de 2018 -

Quando nós, mães e pais, éramos crianças, tecnologia era algo que só existia nos filmes de ficção científica e smartphones e tablets nem passavam pela nossa imaginação. Era, sem sombra de dúvidas, uma infância mais livre, cheia de brincadeiras no quintal das casas, muitos ralados para colecionar histórias e brincadeiras que com certeza seu filho não deve nem conhecer!

Resgatar brincadeiras da nossa época é uma forma de mergulhar no mundo infantil e com gostinho de nostalgia e, ainda por cima, sem precisar de nenhuma desculpa para ser criança de novo.

Listamos brincadeiras do tempo da mamãe (e do papai também):

1 – Alerta Cor
Uma das variações de pique-pega, mas nessa, você precisa encostar na cor falada pelo mandante do jogo. A frase falada é: “Alerta cor!”, seguida da cor escolhida para os demais participantes da brincadeira encontrarem. Perde aquele que não encostar na cor dita pelo mandante do jogo.

2 – Taco
O jogo de taco é disputado entre duas duplas. Uma dupla que fica em posse dos tacos (que por definição será chamada Ataque) e a outra dupla que fica em posse da bola (que por definição será chamada Defesa). São riscados no chão dois círculos com um raio de aproximadamente 20 centímetros.

3 – Escravos de Jó
“Os escravos de jó, jogavam caxangá, tira, põe, deixa ficar, guerreiros com guerreiros fazem zigue, zigue zá.” Marcando os tempos fortes, inicie a brincadeira de passar o objeto (qualquer um) que têm na mão direita para a criança da direita. A criança da direita que receber o objeto, com a mão esquerda deve trocá-lo rapidamente de mão para continuar a roda. Quando a letra diz “tira” a criança deve levantar o objeto; quando diz “põe”, voltar com ele para a mesa (ou chão); quando diz “deixa ficar” ela solta o objeto; e, quando diz “zigue, zigue, zá”, faz-se o movimento (ida e volta), só passado para a pessoa da direita na última palavra.

4 – Batata quente
Quem é que gosta de ter uma batata quente nas mãos? Ninguém! E é este o princípio desta brincadeira. As crianças sentam-se em círculo e alguém fica de fora (de costas ou com os olhos vendados). Enquanto a criança de fora estiver cantando: “Batata quente, quente, quente…” as crianças da roda passam uma bola ou objeto de mãos em mãos até que ela diga: “queimou”. Quem estiver com o objeto na mão, neste momento, passa a ficar de fora e a cantar.

5 – Telefone sem fio
Já ouviu aquela frase: “quem conta um conto, aumenta um ponto?”. O propósito desse jogo não fica apenas para a diversão. Observar como chegará a frase aos ouvidos do último participante servirá também (caso ela não chegue completa) para exemplificar como um “boato ou mentira” pode se propagar de forma errada. Forma-se uma fila de crianças ou uma roda. A primeira criança escolhida deverá ser a primeira participante a falar algo no ouvido do seu colega do lado. Este passa a informação que recebeu para o colega seguinte e assim sucessivamente até que chegue no ouvido do último participante.

Louise Aguiar Louise Aguiar, 28 anos, casada e mãe dos meninos Caio e Guilherme, descobriu na maternidade o seu melhor lado.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *