7 dicas para facilitar a introdução alimentar

02 de julho de 2019 -

A introdução alimentar é uma nova fase e, por isso, muitas vezes aguardada com certa ansiedade pelas mamães. Afinal de contas, até então, tudo que o bebê comia era apenas leite, seja materno ou não. Muitas ficam sonhando como será, se haverá ou não alguma espécie de rejeição ou se o bebê irá aceitar tudo numa boa.

Para facilitar a adaptação do bebê à nova rotina, é melhor começar aos poucos, oferecendo um alimento por vez. Você pode iniciar com frutas ou legumes cozidos, como couve-flor, cenoura, brócolis. Isso cerca de 30 minutos antes da próxima mamada regular do bebê, porque como ele não está acostumado com as texturas e sabores, é natural que ele coma menos, como duas a três colheradas por exemplo. Depois, você pode oferecer o leite materno ou artificial.

Aqui em casa, começamos pelos lanches antes de ir para as principais refeições e o alimento era oferecido de formas diferentes, ora amassado, ora picado. Para que meus filhos se acostumassem também a pegar o alimento e levá-lo a boca – esse método é conhecido como BLW (Baby Led Weaning – em tradução livre: desmame guiado pelo bebê).

 

Sete dicas para a introdução alimentar do bebê:

1) Não se trata de quantidade!

O bebê tem um estômago bem pequeno e por isso não vai comer uma grande quantidade de comida. Além disso, você estará complementando com seu leite ou com a fórmula para garantir que ele obtenha os nutrientes necessários para o seu desenvolvimento.

 

2) Comida para fora da boca não significa recusa!

Pode parecer estranho quando o bebê colocar as frutinhas para fora da boca, até parece que ele não gostou. Acostume-se com as caretas, elas são apenas sinais de estranhamento e adaptação. A verdade é que o bebê ainda não está acostumado com a mastigação e sim com a sucção, que é o movimento que faz para mamar. Por isso, há uma tendência dele repetir esse movimento na hora da comida, tenha paciência e saiba que é assim mesmo.

 

3) É uma refeição complementar!

Como falei no primeiro tópico, o bebê está aprendendo a comer e o lanche ainda se trata de uma alimentação complementar ao leite, portanto, ela ainda não irá saciar por completo o bebê. Por isso, você pode e deve continuar amamentando.

 

4) Evite o uso de distrações!

Os pais costumam utilizar distrações para fazerem o filho comer mais. Essa é uma grande armadilha, que se você utilizar, ficará cativo dela. Além da criança ser super estimulada durante a refeição, ela irá comer mais do que o seu estômago aguenta.

 

5) Sem açúcar!

O paladar de uma criança é tão puro quanto ela. Você não precisa mostrar a parte doce da vida, ela irá descobrir sozinha. Crianças não precisam de açúcar e há indicações da Organização Mundial da Saúde (OMS) para que não se ofereça nenhum alimento com esse ingrediente para a criança até os dois anos de idade.

 

6) Utilize-se de temperos!

Como o paladar da criança está em formação, ela também não precisa de muito sal. Você pode dar sabor à refeição do bebê com temperinhos como alho, cebola, alho-poró, manjerona, manjericão, tomilho e tantos outros que lembrar. Quanto mais fresco, melhor.

 

7) Paciência!

A paciência será sua melhor amiga durante a introdução alimentar. O bebê fará sujeira, nem sempre irá comer o que você oferecer, vai se distrair com as próprias mãos, vai querer pegar a colher sozinho ou vai querer comer com as mãos. Essa nova fase vai trazer surpresas, mas o mais importante de tudo é se lembrar que a experiência da refeição em família é mais importante do que o resultado final em si. São momentos únicos, registre tudo para depois poder recordar e se divertir com as caras e bocas do seu filho!

Karin Petermann Produtora de conteúdo no site Mamãe & Cia, 31 anos - casada há 11 anos.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *